Contra a modificaçom da Lei de Costas

A rede de colectivos A Ría Non Se Vende exige a retirada do rascunho do anteprojeto de Lei de Proteçom e Uso Sustentável do Litoral com a que o governo pretende substituir a atual Lei 22/1988 de Costas

No rascunho nom se dá pontada sem fio. Vinte e três páginas que de se aprovarem modificarám totalmente a situaçom das costas voltando ao descontrole dos anos sessenta, setenta e oitenta. As costas ficariam menos protegidas e mais ocupadas e urbanizadas que com a Lei 22/1988. Mais uma vez pretendem socializar as perdas bem por reduçom do uso público e das funções ecológicas como polo aumento dos custos económicos ao termos de pagar as indemnizações por desastres ambientais que de seguro nom vam fazer mais do que medrar. Apesar de justificarem a nova lei em ganharem segurança jurídica é muitíssimo mais arbitrária que a anterior e produziria mais reclamações judiciais.

Só dous som os pontos a priori positivos: a obrigatoriedade bem da inscriçom registral dos bens de dominio público marítimo-terrestre (DPM-T) como da publicaçom na web do MAGRAMA das linhas de delimitaçom (cousa que se começara a fazer) e o outorgamento de concesom aos Bens de Interesse Cultural que ocupam o DPM-T. Seguir lendo

Advertisements

Sábado 8 de Setembro: Xantar vegano en apoio á Ría Non Se Vende

Este sábado 8 de Setembro, como todos os segundos sábados de cada mes, estas convidad@ a participar nun riquisimo xantar popular e vegano en apoio á “Ría Non Se Vede”, no Centro Social “A Cova dos Ratos”, (rúa Romil, nº 3 en Vigo). Haberá un bote de 3,5 € por persoa para financiar as actividades da rede de colectivos, e escomenzará a partir das 14:00.

Bon proveito